1 de julho de 2013

Yammer é cada vez mais importante para a Microsoft

A Yammer continua a crescer e ganhar popularidade entre as empresas e pode servir como atrativo para incentivá-las, e também à clientes de aplicativos da Microsoft, a adotar os produtos e serviços da gigante de Redmond na nuvem.

Segundo a Microsoft, o número de usuários registrados da Yammer aumentou de cinco milhões de há um ano para quase oito milhões hoje. Isto inclui as pessoas que usam a versão gratuita da rede social. Mas a empresa afirma que os usuários pagam triplicaram no último ano.

Esses clientes pagos são em grande parte responsáveis ​​pela Microsoft ter desembolsado uma quantia considerável na aquisição da rede social corporativa, diz o analista da Aragon Research, Jim Lundy. Pelo menos 85% dos funcionários de empresas Fortune 500 usam a Yammer, de acordo com a Microsoft, e este é um grande trunfo para que a comapnhia possa oferecer a eles todos os  seus produtos na nuvem. Especialmente o SharePoint, salienta Lundy. “É uma maneira simples de aumentar as vendas externas do SharePoint”, conclui ele.

A Yammer é uma ferramenta de rede social para a colaboração empresarial e tem uma vasta gama de funcionalides como o envio de mensagens, criação de grupos e conteúdo específico para compartilhar com os outros através de mensagens instantâneas. Ela também suporta um repositório de arquivos para grupos, que armazena e recupera o conteúdo relevante, que também pode ser anexado a mensagens Yammer. Você também pode usar hashtags para melhorar a busca de temas específicos.

Agora, a Microsoft pretende alargar o âmbito do Yammer para outras áreas, incluindo a melhoria da interoperabilidade com o e-mail. Diz-se também que a troca de documentos criados no Office 365, via Yammer, será melhorada.

A Microsoft admite que está apostando que as empresas adotem a mídia social como ferramenta básica para a comunicação, coordenação e colaboração interna. Por esse motivo, está investindo significativamente no Yammer.

Lundy enfatizou que embora existam sobreposições de software com algumas funcionalidades do SharePoint, a facilidade de uso e administração da Yammer a tornarão ainda mais atraente. Na verdade, o próprio analista afirma ser capaz de fazê-la funcionar em meia hora, sem a necessidade de recorrer a um especialista em gestão de sistemas.

A Microsoft também tem sido agressiva em seus preços, reduzindo os custos mensais por usuário de 15 dólares para quase 3 dólares. Valor que representa uma pressão enorme para os seus concorrentes, jive, Socialcast VMware, SAP StreamWork e outros que cobram entre 18 e 23 dólares , diz Lundy.

GSMA ressalta o sucesso da Mobile Asia Expo 2013

LONDRES, 30 de junho de 2013 /PRNewswire/ — A GSMA informou hoje que mais de 20.500* visitantes únicos de 77 países compareceram à Mobile Asia Expo 2013, que ocorreu entre os dias 26 e 28 de junho em Xangai. A conferência e exposição com duração de três dias atraiu executivos das maiores e mais influentes operadoras de serviços móveis, fabricantes de dispositivos, fornecedores de equipamentos, empresas de software e empresas de internet, bem como representantes do governo e consumidores conhecedores de tecnologia. O programa da conferência atraiu mais de 2.100 participantes, e mais de 50 por cento dos representantes ocupam cargos de chefia, entre eles 130 diretores gerais.

“Estamos muito felizes pelo número de pessoas que vimos esta semana. O grande nível de comparecimento, particularmente entre o grupo de executivos das principais empresas de comunicações do mundo, ressalta a importância da Ásia no cenário móvel global”, comentou John Hoffman, diretor geral da GSMA Ltd. “Da conferência à exposição, passando pelas várias reuniões e eventos da Mobile Asia Expo, os participantes puderam vivenciar a visão do ‘futuro conectado’ hoje.”

A Mobile Asia Expo 2013 contou com quase 200 estandes de exposição e ocupou 25.000 metros quadrados brutos de espaço para exposições e reuniões de negócios. Mais de 640 analistas internacionais da mídia e da indústria participaram do evento para informar sobre os vários anúncios do setor realizados na Mobile Asia Expo.

Líderes do setor e do governo se reúnem em Xangai
A Mobile Asia Expo abriu as portas no dia 26 de junho, com discursos de Franco Bernabe, presidente da GSMA, Shang Bing, vice-ministro do Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação, e Zhou Bo, vice-prefeito de Xangai. O programa de conferências de dois dias da Mobile Asia Expo contou com discursos de líderes de organizações como Alcatel-Lucent, China Mobile, Datang Telecom Technology Industry Group, Huawei, Indosat, ITU, KT, Ruckus Wireless, SK Planet, SK Telecom, Telenor, Telstra e Ubuntu.

Além dos discursos, a conferência Mobile Asia Expo incluiu a GTI Asia Conference, bem como sessões abertas direcionadas que examinaram as principais tendências e problemas dos serviços móveis. A Mobile Asia Expo também contou com várias outras reuniões, como a Reunião de Vida Conectada da Ásia, o Fórum de Cidades Inteligentes e a Reunião de Direitos de Propriedade Intelectual ETSI-GSMA.

Fórum de Políticas Públicas da GSMA
Dada a importância da política de som do governo para o ecossistema móvel e o impacto que a região Ásia-Pacífico possui em escala global, a GSMA realizou o segundo Fórum Anual de Políticas Públicas na Mobile Asia Expo, reunindo mais de 70 intervenientes importantes dos governos, agências reguladoras, organizações internacionais, operadoras de serviços móveis e fabricantes do setor na região. Com o tema “Alcançando a conectividade total”, o fórum de 2013 analisou o ambiente regulamentar que ajudará a oferecer serviços, gerar crescimento e melhorar a vida na região Ásia Pacífico e fora dela.

Exposição: apresentando empresas líderes no ambiente móvel
A exposição Mobile Asia Expo apresentou empresas de todo o ecossistema móvel, bem como de setores adjacentes, como a Accenture, Alcatel-Lucent Shanghai Bell, Amazon China, ATT, China Mobile, China Telecom, China Unicom, Chunghwa Telecom, Dell, Facebook, Huawei, Lenovo, Mozilla, NEC, Oracle, Samsung, Sharp, SK Telecom, Sony Mobile Communications, Telecom Italia Sparkle, The Coca-Cola Company, Toshiba, Ubuntu, Visa e ZTE, entre outras.

A Expo contou com vários pavilhões e áreas focadas em temas ou regiões específicos, como o pavilhão de inovação, o pavilhão de realidade aumentada, a área de jogos e o pavilhão de entretenimento móvel. Os presentes também participaram de uma variedade de apresentações informativas nos laboratórios de inovação, patrocinados pela FingerQ e Orange, bem como conferências de desenvolvedores de aplicativos e sessões de laboratório de aplicativos no App Planet.

Cidade conectada no coração da Mobile Asia Expo
Pela primeira vez, a exposição Mobile Asia Expo contou com a cidade conectada. Em 1.600 metros quadrados, a cidade conectada exibiu uma variedade de produtos e serviços móveis conectados, proporcionando aos participantes da Mobile Asia Expo a oportunidade de vivenciar a “vida conectada” em primeira mão. Entre os parceiros da cidade conectada estão a China Mobile, Cisco, Ford Motor Company, Huawei, KT e SAP.

Experiência NFC: trazendo a tecnologia NFC à vida
Os participantes da Mobile Asia Expo que possuíam um celular habilitado para NFC puderam aproveitar a tecnologia NFC em locais da exposição, no Kerry Centre e no Kerry Shopping Centre da vizinhança. A China Mobile foi a operadora parceira oficial da experiência NFC, e entre os parceiros de apoio estão a Samsung, Huawei, China UnionPay, Sandpay, Shanghai Pudong Development Bank e Shanghai COS Software Co., Ltd.

Parceiros da Mobile Asia Expo 2013
As organizações de apoio da Mobile Asia Expo incluem a Comissão Municipal de Economia e Informatização de Xangai e o governo da área nova de Pudong. Entre os parceiros estratégicos da Mobile Asia Expo estão a Associação de Comunicações Móveis da China (China Mobile Communications Association, CMCA), o Comitê de Marketing por Internet da China (Internet Marketing Committee of China, IMCC), a Associação da Indústria de Comunicação de Xangai (Shanghai Communication Industry Association, SCIA) e a Associação de Tecnologia de Teste Terminal de Telecomunicações (Telecommunication Terminal Testing Technology Association, TAF). Os parceiros oficiais de imprensa incluem a BesTV, Shanghai Media Group (SMG), Bloomberg, CNBC, Sina e Tencent. A China Mobile é o patrocinador platinum do evento para a Mobile Asia Expo.

“Agradecemos a todos que contribuíram para o sucesso da nossa segunda Mobile Asia Expo, inclusive ao governo da China, à cidade de Xangai, à China Mobile, nosso patrocinador platinum do evento, e a todos os nossos expositores, patrocinadores, parceiros e participantes”, declarou Hoffman. “Estamos ansiosos para voltar a Xangai no próximo ano, com base no sucesso do nosso evento de 2013.”

A Mobile Asia Expo 2014 ocorrerá na semana do dia 9 de junho de 2014. A data específica e maiores detalhes sobre o evento de 2014 serão disponibilizados nos próximos meses.

Para a cobertura de notícias e destaques em vídeo da Mobile Asia Expo, acesse o Mobile World Live em http://www.mobileworldlive.com/mobile-asia-expo/. Reprises das apresentações dos discursos da Mobile Asia Expo também serão disponibilizadas no Mobile World Live nas próximas semanas.

Nota ao editor: *Esse valor representa o número de participantes individuais do evento, inclusive representantes, expositores, prestadores de serviços e imprensa; ele não representa o número total de entradas no evento.

Sobre a GSMA
A GSMA representa os interesses de operadoras de serviços móveis em todo o mundo. Presente em mais de 220 países, a GSMA reúne cerca de 800 operadoras de serviços móveis do mundo, com mais de 230 empresas do ecossistema móvel mais amplo, inclusive fabricantes de aparelhos, empresas de software, fornecedores de equipamentos e empresas de internet, bem como organizações de setores da indústria como serviços financeiros, cuidados com a saúde, mídia, transporte e serviços públicos. A GSMA também organiza eventos líderes no setor, como o Mobile World Congress e a Mobile Asia Expo.

Para mais informações, acesse o site corporativo da GSMA em www.gsma.com ou o Mobile World Live, o portal online para o setor de comunicações móveis, em www.mobileworldlive.com

Contatos para a imprensa:

Para a GSMA
Charlie Meredith-Hardy
+44-7917-298428
CMeredith-Hardy@webershandwick.com

Ava Lau (Hong Kong)
+852-2533-9928
alau@webershandwick.com

Assessoria de imprensa da GSMA
press@gsma.com

FONTE  The GSMA

 

 

FONTE The GSMA

The GSMA

Bolsas da Europa encerram o mês com perda de 5,27%

As bolsas da Europa fecharam em queda nesta sexta-feira, 28, após indicadores mistos no continente e também nos Estados Unidos. Comentários de dirigentes do Federal Reserve, o banco central norte-americano, também influenciaram o humor dos investidores. Além disso, ajustes de carteira com o fim do mês e do trimestre pesaram sobre os principais índices acionários. O indicador pan-europeu Stoxx 600 perdeu 0,49%, fechando em 285,02 pontos. Na semana a alta foi de 1,65%, em junho a retração chega a 5,27% e no segundo trimestre houve queda de 2,98%.

Na Europa, o índice Eurocoin de atividade econômica caiu para -0,18% em junho, de -0,15% em maio, segundo dados do Banco da Itália e do Centro de Pesquisa de Política Econômica (CEPR). Na Alemanha, as vendas no varejo em maio aumentaram 0,8% ante abril, após três meses consecutivos de queda, superando as previsões de economistas de uma baixa de 0,3%. E na Itália o índice de confiança das empresas subiu para 90,2 em junho, de 88,7 em maio, atingindo o maior nível em 15 meses, segundo o Istat.

Enquanto isso, nos EUA o índice de atividade dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial de Chicago, medido pelo Instituto para Gestão de Oferta (ISM), caiu para 51,6 em junho, de 58,7 em maio. Analistas ouvidos pela Dow Jones esperavam um recuo menor do indicador, para 55,0. Já a confiança do consumidor, medida pela Reuters/Universidade de Michigan, subiu para 84,1 na leitura final de junho, de 82,7 no resultado preliminar, mas ficou abaixo do nível de maio, de 84,5. Mesmo assim o resultado veio acima das expectativas dos analistas ouvidos pela Dow Jones, que esperavam uma leitura de 83,0.

Hoje mais dois dirigentes do Fed comentaram sobre as projeções para a política monetária dos EUA, em uma tentativa de dar mais clareza e acalmar os mercados. O discurso de Jeremy Stein, entretanto, não foi bem-sucedido. Ao dizer que o banco central precisa analisar um conjunto de dados quando decidir diminuir suas compras de bônus, Stein citou setembro como possível prazo para que isso ocorra. “A melhor abordagem para o Fomc é deixar claro que, ao tomar uma decisão em setembro, por exemplo, ele dará mais peso ao conjunto de notícias que se acumulou desde o início do programa e não será influenciado por dados das últimas semanas antes da reunião”, afirmou.

Nesse cenário, o índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, perdeu 0,39%, fechando a 7.959,22 pontos. Na semana, entretanto, houve alta de 2,18%. O Deutsche Bank perdeu 2,97%, a Merck recuou 2,34% e a SAP teve desvalorização de 3,00%.

Em Paris, o índice CAC-40 caiu 0,62%, encerrando a sessão a 3.738,91 pontos. Mesmo assim, no resultado acumulado da semana o indicador ganhou 2,21%. Entre as maiores quedas aparecem Capgemini (-3,01%), Credit Agricole (-2,02%), Société Générale (-4,17%) e Renault (-2,31%).

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE teve queda de 0,45% e fechou a 6.215,47 pontos. Na semana a alta ficou em 1,62%. Os investidores se preparam para a primeira reunião do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) sob a presidência de Mark Carney, na semana que vem. Hoje a mineradora Anglo American subiu 0,08%, depois de afirmar que continua estudando a venda de uma fatia minoritária no seu projeto Minas Rio, no Brasil, mas somente “quando for a hora certa”.

Em Milão, o índice FTSE-Mib teve queda de 1,24%, para 15.239,28 pontos, o que levou o resultado na semana para retração de 0,62%. O índice IBEX-35, da Bolsa de Madri, registrou perda de 1,04%, para 7.762,70 pontos. Mesmo assim, na semana houve alta de 0,81%. O índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, subiu 0,44%, a 5.556,88 pontos. No acumulado da semana, a alta foi de 1,93%. Fonte: Dow Jones Newswires.

eMeter, A Siemens Business Demonstra Capacidade de Escalar a 50 Milhões de Medidores e Permitir um Crescimento Livre …

FOSTER CITY, Califórnia, 27 de Junho de 2013 /PRNewswire/ — eMeter, A Siemens Business anunciou hoje que concluiu o teste de benchmark de 50 milhões de medidores, o que significa que a sua Plataforma de Aplicativo de Rede Inteligente EnergyIP pode fornecer às empresas de serviços públicos de qualquer porte as ferramentas analíticas sobre consumo de energia de que elas precisam para promover um crescimento livre de riscos. Como parte do processo de benchmarking, a eMeter conseguiu o status Oracle Exadata Optimized através da rede Oracle PartnerNetwork (OPN), mostrando que o EnergyIP já foi testado e sintonizado com o sistema Oracle Exadata Database Machine e, portanto, oferece velocidade, escalabilidade e confiabilidade às empresas de serviços de energia e água suas clientes.

eMeter, A Siemens Business foi adquirida pela Siemens em janeiro de 2012 e é uma das pedras angulares estratégicas de Rede Inteligente (Smart Grid) da Siemens, além de ser uma potência em software, responsável pela Plataforma de Aplicativo de Rede da Siemens. EnergyIP já está sendo usado por empresas de serviços públicos de energia, gás e água em mais de 16 países. eMeter, A Siemens Business é membro de nível Gold da rede Oracle PartnerNetwork.

“Em nossos testes, conseguimos manter um nível sustentável de processamento das leituras dos medidores de mais de 400 milhões de intervalos por hora, concluindo o processamento em menos de seis horas e superando os critérios de manuseio diário para chegar a 50 milhões de medidores, tudo isto utilizando menos de 60% dos recursos do Oracle Exadata”, disse Lisa Caswell, Presidente da eMeter, A Siemens Business. “Estes resultados demonstram que EnergyIP, trabalhando junto com o Oracle Exadata Database Machine, pode oferecer uma escalabilidade líder no setor e entregar dados de consumo de energia de alta qualidade para fins de faturamento e uso em múltiplas aplicações, inclusive ferramentas analíticas. Fatores tais como as fusões e o crescimento dos serviços compartilhados significam que muitas das empresas de serviços públicos têm que gerir um volume rapidamente crescente de dados. A capacidade de escalonar para até 50 milhões de medidores garante aos nossos clientes um desempenho previsível e estável dentro de um caminho de crescimento e escalonamento sem nenhum risco.”

“A eMeter, A Siemens Business, trabalhou com a Oracle para testar a escalabilidade de nossa Plataforma de Aplicativo de Rede Inteligente, EnergyIP, com o sistema Oracle Exadata. Os resultados excepcionais provaram que Oracle Exadata Database Machine pode dar suporte aos requisitos mais exigentes das mega-empresas de serviços públicos e provedores de serviços em nuvem, com um desempenho já provado na faixa de 50 milhões de medidores”, disse Shannon Amerman, VP de Alianças da eMeter, A Siemens Business.

O teste do EnergyIP 7.6 com o Oracle Exadata se baseou em múltiplos cenários da vida real que exigiam estimar dados que faltavam, computar e apresentar os valores de faturamento no momento do uso, e atualizar os registros do banco de dados com as variações que ocorrem nas instalações de medidores inteligentes de alto volume e nos clientes diários normais. Combinados com o processamento de leituras de medidores, estes cenários do tipo “um dia na vida” exigiram menos do que nove horas de processamento e usaram, em média, menos de 50% da capacidade do Oracle Exadata. 

Oracle Exadata Optimized é parte do programa Oracle Exastack Optimized que permite aos parceiros, tais como a eMeter, A Siemens Business, alavancar recursos de habilitação da rede OPN e ambientes de laboratórios dedicados para ajudar a desenvolver, testar e sintonizar seus aplicativos em sistemas projetados de Oracle Exadata, Oracle Exalogic Elastic Cloud e Oracle SPARC SuperCluster. Oracle Exadata permite um desempenho extremo e é a plataforma ideal de banco de dados para os aplicativos OLTP, armazéns de dados, além dos variados e imprevisíveis volumes de trabalho da computação em nuvem. Trata-se de um pacote completo de servidores, rede e software que é extremamente escalável, seguro e redundante.

Ao alcançar o status Oracle Exadata Optimized, a Oracle reconhece que a eMeter, A Siemens Business desenvolveu, testou e sintonizou o EnergyIP 7.6 em Oracle Exadata Database Machine. Os clientes têm assim a certeza de que, ao selecionar EnergyIP 7.6, estão escolhendo um produto que foi testado e sintonizado dentro do objetivo de alcançar níveis ótimos de desempenho, escalabilidade e confiabilidade.

“Oracle Exastack Optimized reconhece os parceiros que otimizaram suas soluções numa estrutura completa, integrada e pronta para a nuvem, com o fim de ajudar a acelerar a inovação, liberar os novos recursos e a funcionalidade, e oferecer um valor superior aos usuários”, disse Chris Baker, Vice-Presidente Sênior de ISVs Mundiais e Vendas de OEMs da Oracle. “Ao conseguir atingir o status Oracle Exadata Optimized, a eMeter, A Siemens Business demonstrou que sua Plataforma de Aplicativo de Rede Inteligente, EnergyIP, foi testada e sintonizada para funcionar com o sistema Oracle Exadata Database Machine e oferece desempenho, escalabilidade e confiabilidade otimizados aos seus clientes.”

Sobre a eMeter, A Siemens Business
A eMeter, A Siemens Business fornece o software essencial que permite às empresas de distribuição de energia, gás e água realizar todo o potencial de benefícios de uma Rede Inteligente. As principais empresas de serviços públicos do mundo inteiro dependem do software de gerenciamento de Rede Inteligente da eMeter para reduzir custos operacionais, aperfeiçoar o atendimento aos clientes e aumentar a eficiência energética. A eMeter, que tem o maior número de instalações de grande porte do setor e parcerias estratégicas com a Accenture, IBM, Oracle e SAP, solidificou sua reputação como empresa de expertise inigualável para garantir o sucesso de seus clientes. Veja mais informações em: http://www.emeter.com.

A Siemens Smart Grid adquiriu a eMeter em janeiro de 2012, depois de trabalharem juntas por muitos anos numa parceria estratégica de muito sucesso. A eMeter, A Siemens Business é uma das pedras angulares de Rede Inteligente da Siemens e atua como a potência de software que é responsável de ponta a ponta pela Plataforma de Aplicativos de Redes da Siemens.

Sobre o Programa Oracle Exastack
O programa Oracle Exastack permite aos Fornecedores Independentes de Software (ISVs) e outros membros da rede Oracle PartnerNetwork (OPN) desenvolver rapidamente e entregar aplicativos mais rápidos e confiáveis. Ao alavancar o programa Oracle Exastack, os membros qualificados da OPN têm acesso a especialistas em desempenho da Oracle e laboratórios dedicados para testar e sintonizar seus aplicativos em Oracle Exadata Database Machine, Oracle Exalogic Elastic Cloud e Oracle SPARC SuperCluster. Quando atingem o status Oracle Exastack Optimized, os parceiros passam a ter acesso aos benefícios de marca, logotipo e outros benefícios relacionados da Oracle para, assim, poderem diferenciar suas ofertas de produtos de uma forma mais eficaz. Os clientes, ao selecionar aplicativos Oracle Exastack Optimized, têm a certeza do suporte oferecido a esses aplicativos e de que eles foram testados e sintonizados dentro do objetivo de otimizar o desempenho, a escalabilidade e a confiabilidade. Também parte do programa, o sistema Oracle Exastack Ready dedica-se a ajudar os ISVs a rodar suas soluções na última versão importante de Oracle Exadata Database Machine, Oracle Exalogic Elastic Cloud, Oracle SPARC SuperCluster e seus produtos componentes, inclusive Oracle Database, Oracle WebLogic Server, Oracle Solaris, Oracle Linux e Oracle VM. Estes produtos oferecem aos parceiros uma infraestrutura de baixo custo e alto desempenho de bancos de dados e cargas de trabalho de aplicativos em todos os ambientes, seja na própria instalação do cliente ou na nuvem. Para obter mais informações, visite http://www.oracle.com/partners/goto/exastack

Sobre o Oracle PartnerNetwork
Oracle PartnerNetwork (OPN) Specialized é a última versão do programa de parceiros da Oracle e lhes fornece melhores ferramentas para desenvolver, vender e implementar soluções Oracle. OPN Specialized oferece recursos para treinar e dar suporte ao conhecimento especializado dos produtos e soluções Oracle, tendo evoluído de forma a reconhecer o crescente portfólio de produtos da Oracle, a base de parceiros e as oportunidades de negócios. Essencial aos últimos aperfeiçoamentos do OPN é a capacidade dos parceiros diferenciarem as várias Especializações. As Especializações são alcançadas através do desenvolvimento de competências, resultados dos negócios, expertise e sucesso demonstrado. Para obter mais informações, visite http://www.oracle.com/partners.

Marcas Registradas
Oracle e Java são marcas registradas da Oracle e/ou de suas afiliadas.

FONTE  eMeter

FONTE eMeter

eMeter

Diretor do presídio de Mirandópolis (SP) é afastado do cargo



Publicidade

 



DE SÃO PAULO

A SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) afastou por suspeita de irregularidades um diretor da penitenciária Nestor Canoa, de Mirandópolis (a 594 km de São Paulo).

A pasta informou que o motivo do afastamento de Paulo Sérgio da Silva é sigiloso. Funcionários disseram à Folha que ele é suspeito de fornecer celulares para presos.

Procurado ontem, Silva não foi encontrado.



Livraria da Folha

Genesis

Sebastião Salgado

De:

Por:

Comprar

Inferno

Dan Brown

De:

Por:

Comprar

Comentar esta reportagem

Termos e condições




Europa sobe com dados alemães e expectativa com Fed

As bolsas da Europa fecharam em alta nesta quarta-feira, impulsionadas pelo aumento na confiança dos consumidores da Alemanha e uma revisão para baixo no PIB dos EUA, que diminui as possibilidades do Federal Reserve reduzir seus estímulos. O índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 1,73%, fechando a 284,54 pontos.

O índice de confiança do consumidor da Alemanha atingiu o nível mais alto em quase seis anos em julho, a 6,8 pontos, segundo divulgou o instituto GfK. O índice também superou a previsão de economistas, de uma leitura inalterada de 6,5 pontos. Na França, o instituto nacional de estatística Insee confirmou que a economia teve uma contração de 0,2% no primeiro trimestre de 2013 ante os três últimos meses de 2012, puxada para baixo pelo enfraquecimento da demanda interna e do comércio exterior.

Nos EUA, a terceira e última revisão do PIB do primeiro trimestre mostrou uma forte correção em relação à leitura anterior. A taxa anualizada de crescimento da economia norte-americana foi revista de 2,4% para 1,8%. Esse dado, porém, não pesou nos mercados. Os investidores preferiram acreditar que essa nova análise pode adiar a redução nos estímulos promovidos pelo Fed.

“De uma perspectiva técnica, dada a forte tendência de queda nas últimas sessões, muitos novos compradores voltaram a assumir posições compradas”, comenta Atif Latif, diretor de negociação da corretora Guardian Stockbrokers. Nesse cenário, o índice FTSE, da Bolsa de Londres, ganhou 1,04%, fechando a 6.165,48 pontos. A seguradora Direct Line Insurance Group teve valorização de 3,79%, após anunciar planos de cortar 130 milhões de libras em gastos e demitir quase 2 mil funcionários. As mineradoras tiveram mais um dia de perdas (Fresnillo -3,56%, Anglo American -3,31% e Randgold Resources -3,05%).

Em Frankfurt, o índice DAX avançou 1,66%, para 7.940,99 pontos. As empresas de tecnologia Infineon e SAP lideram as altas, com ganhos de 3,41% e 4,37%, respectivamente. A farmacêutica Bayer teve valorização de 3,01%. Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 subiu 2,09%, encerrando a sessão a 3.726,04 pontos. Os bancos tiveram desempenho positivo (Société Générale +3,52%, BNP Paribas +2,72% e Credit Agricole +3,46%). A Unibail-Rodamco, que investe em imóveis comerciais, saltou 3,43%, depois de ter sua recomendação elevada para “comprar” pelo UBS.

Em Milão, o índice FTSE-Mib teve alta de 2,03%, para 15.362,88 pontos. O índice IBEX-35, da Bolsa de Madri, registrou ganho de 2,83%, para 7.823,00 pontos. Os bancos subiram forte, com destaque para o Santander, que avançou 3,74%, depois do Citigroup elevar sua recomendação para o setor bancário espanhol para “neutro”. O índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, subiu 1,75%, a 5.525,23 pontos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Gata é capturada com celulares presos ao corpo em presídio de São Paulo

Os agentes de segurança da penitenciária Osiris Souza e Silva, em Getulina, no interior de São Paulo, flagraram uma cena inusitada na noite desta terça-feira. Eles avistaram o felino andando com certa dificuldade na subportaria da unidade prisional e o atraíram com alimento, evitando que ele entrasse na penitenciária. Quando o animal foi capturado, viram que a gata carregava três celulares presos ao corpo com fita adesiva.


Foto:  Divulgação

Segundo a polícia, o animal seria utilizado para levar os aparelhos até o interior do presídio. De acordo com um dos agentes penitenciários que participaram da captura, o gato foi criado escondido por detentos nas dependências do presídio.

A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) informou que a direção do presídio já investigava uma denúncia de que presos da unidade estariam tentando criar animais domésticos. Ainda de acordo com a SAP, esta é a primeira vez que um gato é usado para levar celulares para um presídio do Estado.

Opinião: Nós estamos vivendo o resultado de uma série de paradoxos



Publicidade

 



HELIO DE LA PEÑA
ESPECIAL PARA A FOLHA

Não se fala em outra coisa, não se escreve sobre outra coisa. Nunca tantos falaram tanto sem saber o que estão dizendo. Quem afirma algo com convicção hoje é obrigado a desdizer tudo amanhã.

Temos que tomar cuidado com as certezas absolutas. É preciso entender a mensagem das ruas e ninguém sabe onde fica a tecla SAP.
Se tivesse que arriscar uma síntese para o que está rolando, diria “chega de caô!”. Estamos vivendo o resultado de uma série de paradoxos.

A coisa é tão complexa que temos que agradecer aos prefeitos por não terem baixado as tarifas de ônibus logo de cara e à truculência da
polícia nos protestos.

Sem essa ajuda, talvez não tivéssemos chegado a esse ponto em que tudo está sendo posto em cheque. Por R$ 0,20, muitos bilhões desviados estão sendo denunciados. Escândalos estão sendo desmascarados pela máscara inspirada em Guy Fawkes, um inglês do século XVII.

Fazia tempo que os estudantes não saíam às ruas. A primeira vez que participei de um movimento desse tipo foi em 1977, quando foi ressuscitado o movimento estudantil.

Queríamos reviver a Passeata dos Cem Mil de 1968. A atmosfera foi parecida, respirávamos democracia no fim da ditadura. Depois voltei às ruas pela anistia, pelas Diretas Já, pelo impeachment do Collor, entre outras vezes menos marcantes.

Participei ativamente do movimento estudantil. Embarquei nesse ambiente político universitário cheio de esperança. Mas testemunhei muita sujeira.

Os estudantes sendo iludidos por raposas velhas de partidos de esquerda que faziam uma mímica de democracia, enquanto decidiam tudo em conchavos na calada da noite.

Era do Partidão e vi bem como era isso. As lideranças se orgulhavam de conduzir a massa pra onde ela não sabia que queria ir, era o que se dizia. Lembro do caso de uma mãe procurando pelo filho na PUC do Rio. Ao encontrar um grupo de estudantes, perguntou: “Vocês conhecem o fulano? Ele é o líder de vocês…”.

Até então acreditávamos no estereótipo do bem e do mal. O bem era a esquerda, o mal, a direita. A esquerda podia fazer cagadas, manipular opiniões, até desviar verbas pela causa. “Os fins justificam os meios”, diziam as lideranças progressistas.

Conseguimos, enfim, derrubar a direita e colocar a esquerda no poder. E o que se viu? A maior sequência de escândalos e corrupção da nossa história.

Mentiras se repetindo, inimigos chegando a acordos, direita e esquerda fazendo de tudo para se perpetuarem no poder. Lula, Collor, Sarney, Dilma, Maluf, todos na mesma mesa de jantar.

Os absurdos são anteriores à era PT, mas foram se acumulando e continuam. Marco Feliciano na Comissão de Direitos Humanos, Renan na presidência do Senado, Genuíno, condenado, eleito e legislando sobre a ação do Judiciário, estádios bilionários construídos em cidades sem time na primeira divisão, estatísticas maquiando nossa realidade… Até que, por R$ 0,20, tudo vem à tona.

Ninguém sabe onde isso vai dar. Não se sabe como fazer pra mudar a situação. Este “foda-se” que sempre deram pra nós agora estamos devolvendo pra eles.

Vandalismo não é solução, nem violência policial. Qual o próximo passo? A vontade é tirar todos de todos os cargos. Mas, em algum momento, alguém terá que representar essa nova mentalidade.

O voto é nossa arma mais poderosa. Não vamos conseguir botar 170 milhões de pessoas no Palácio do Planalto. E aí vamos ter que confiar que a sinceridade é possível, que as intenções serão de fato as melhores.

Talvez não seja agora. Não sabemos como nem quando. Queremos acreditar que um dia vai ser. Por ora, resgatemos a utopia. Já é um grande passo.

Helio de la Peña, 54, é humorista do Casseta Planeta, ator e roteirista da TV Globo.



Livraria da Folha

Inferno

Dan Brown

De:

Por:

Comprar

Genesis

Sebastião Salgado

De:

Por:

Comprar

Comentar esta reportagem

Termos e condições


Bolsas da Europa fecham em queda com aversão ao risco após Fed



Publicidade

 



DA REUTERS

As ações europeias recuaram nesta sexta-feira (21) em pregão com forte volume, chegando perto de mínimas em seis meses, uma vez que preocupações sobre a perpesctiva de redução do programa de estímulo dos Estados Unidos ainda afetaram os mercados em todo o mundo.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 1%, para 1.132 pontos, nível não visto desde o final de dezembro. O índice sofreu a maior queda semanal em mais de um ano, de 3,7%.

O volume de negociação foi forte, impulsionado pelo vencimento de opções mensais e trimestrais e de futuros, o que exacerbou a volatilidade durante a sessão.

“Nós estamos em um ponto de virada, e ele veio antes do que investidores esperavam. A liquidez se tornou agora o principal foco para os mercados”, afirmou o estrategista de alocação de ativos globais do Société Générale CIB, Roland Kaloyan.

As ações europeias começaram a cair na quinta-feira, depois que o chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, confirmou que o banco central norte-americano irá começar a diminuir o seu programa de estímulo ainda este ano, alimentando vendas generalizadas de ações ao redor do mundo, assim como nos mercados de renda fixa e commodities.

As ações de tecnologia ficaram entre as maiores quedas, com a fabricante alemã de softwares SAP caindo 2,9% depois que a rival norte-americana Oracle registrou receitas piores do que o esperado pelo segundo trimestre seguido.

Em Londres, o índice Financial Times caiu 0,7%, a 6.116 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX recuou 1,76%, para 7.789 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 perdeu 1,11%, a 3.658 pontos.

Em Milão, o índice Ftse/Mib teve queda de 1,89%, para 15.254 pontos. Em Madri, o índice Ibex-35 cedeu 1,56%, a 7.700 pontos. Em Lisboa, o índice PSI20 despencou 3,45%, para 5.451 pontos.



Livraria da Folha

Por que Saí do Goldman Sachs

Greg Smith

De:

Por:

Comprar

O Livro da Economia

Vários autores

De:

Por:

Comprar

Comentar esta reportagem

Termos e condições



Crise política na Grécia respinga em bolsas da Europa

As bolsas da Europa fecharam em queda nesta sexta-feira, 21, após uma sessão volátil. Os investidores continuam reagindo à fala do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, na quarta-feira, 19, e agora a Grécia voltou ao foco, com uma crise política que pode levar a novas eleições e o adiamento da liberação de mais uma parcela do pacote internacional de resgate. O índice pan europeu Stoxx 600 perdeu 1,16%, fechando a 280,40 pontos. Na semana, a retração foi de 3,68%.

Em um dia de agenda fraca nos EUA e também na Europa, os mercados continuam a digerir o discurso de Bernanke, que dois dias atrás afirmou que o Federal Reserve pode começar a reduzir suas compras de bônus este ano, se as condições econômicas assim permitirem. Nesta sexta-feira, 21, o presidente do Fed de Saint Louis, James Bullard, explicou seu voto dissidente na reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) esta semana. Ele acha que Bernanke não deveria ter estabelecido agora um cronograma para o fim dos estímulos. “Uma abordagem mais prudente teria sido esperar sinais mais tangíveis de que a economia está se fortalecendo e de que a inflação está caminhando em direção à meta”, afirmou.

Enquanto isso, a Grécia se vê novamente mergulhada em uma crise política. O partido Esquerda Democrática abandonou a coalizão de governo, em função de discordâncias sobre o fechamento e posterior reestruturação da emissora estatal de televisão ERT. O primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, do Nova Democracia, ainda conta com o apoio do Partido Socialista (Pasok), que lhe dá uma estreita maioria no Parlamento. Mesmo assim, a crise política muito provavelmente vai desviar o foco e dificultar a aprovação das reformas estruturais que o país precisa adotar.

O único indicador relevante divulgado nesta sexta-feira,,na Europa foi o superávit em conta corrente da zona do euro, que recuou para 19,5 bilhões de euros em abril, após um superávit recorde de 25,9 bilhões de euros em março. Os dados são ajustados aos efeitos sazonais e levam em conta o número de dias úteis de cada mês.

Nesse cenário, o índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, caiu 1,76%, encerrando a 7.789,24 pontos. Na semana a retração foi de 4,17%. A companhia de tecnologia SAP teve desvalorização de 2,13%, após sua rival Oracle apresentar resultados fracos. Já a farmacêutica Merck perdeu 2,38%, depois do Goldman Sachs começar sua cobertura do papel com recomendação de venda.

Em Paris, o índice CAC-40 recuou 1,11%, fechando a 3.658,04 pontos. Com isso, a queda na semana foi de 3,87%. Os bancos tiveram um desempenho ruim, após a agência de classificação de risco Standard Poor’s afirmar que eles enfrentam um crescente risco em função da desaceleração na economia (Société Générale -2,14% e BNP Paribas -2,57%). Já os papéis da varejista FNAC subiram 6,42%, após a estreia ontem na bolsa.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE teve retração de 0,70%, encerrando a sessão a 6.116,17 pontos. No acumulado da semana a perda foi de 3,05%. Os papéis do Royal Bank of Scotland (RBS) registraram desvalorização de 7,24%, em meio a novas incertezas sobre o futuro da instituição. As mineradoras também caíram forte (Fresnillo -5,15% e Polymetal -2,87%).

Em Milão, o índice FTSE-Mib teve queda de 1,89%, para 15.254,82 pontos. Na semana a baixa foi de 5,52%. O índice IBEX-35, da Bolsa de Madri, registrou perda de 1,56%, para 7.700,20 pontos. Com isso, no resultado semanal houve recuo de 4,59%. O índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, caiu 3,45%, para 5.451,82 pontos, encerrando a semana com queda de 5,51%. Fonte: Dow Jones Newswires.