13 de junho de 2013

Gata era usada para levar celulares a penitenciária no interior de SP

SÃO PAULO – Agentes flagraram uma gata usada por presos para levar celulares para dentro de uma penitenciária em Getulina, no interior de São Paulo. Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), que divulgou as fotos nesta quarta-feira, o felino foi encontrado com três aparelhos celulares presos ao corpo com uma fita adesiva. De acordo com a secretaria, a direção da unidade já investigava uma denúncia de que presos tentavam usar animais domésticos para levar, de forma ilegal, alguns materiais para dentro das celas.

Durante a ronda, na terça-feira, os agentes notaram que a gata andava com dificuldade na portaria. O felino foi atraído pelos funcionários com alimentos e não entrou no presídio.

Em nota, a secretaria disse que esta é a primeira vez que uma gata foi usada para burlar a segurança em uma unidade prisional paulista. Em outras ocasiões já foram utilizados pombos.

O animal foi levado para a Ong Refúgio Pet, na cidade de Lins. Segundo a entidade, a gata tinha cola no corpo, que foi retirada com água morna. Batizada de Penny, será castrada e colocada para adoção. Seu estado de saúde é bom e ela aparenta ter dois anos de idade. Inicialmente, havia sido divulgado que o animal era do sexo masculino. Mas a Ong confirmou que é uma gata.

Mas um caso semelhante aconteceu em Alagoas, na virada do ano. Um gato foi capturado por agentes penitenciários, no presídio Desembargador Luiz de Oliveira Souza, na cidade de Arapiraca (agreste de Alagoas). No corpo dele, enrolado com fita crepe, estavam serras, brocas, fone de ouvido, cartão de memória, celular, baterias e um carregador de telefone móvel.

Be Sociable, Share!

Speak Your Mind

*