16 de outubro de 2010

Redes Sociais da Trainning Education são sucesso na Internet

Com temas atuais sobre tecnologia, governança, projetos, recolocação profissional e mais de 50000 acessos por mês as redes sociais da Trainning Education são sucesso absoluto. Acesse Facebook da Trainning http://www.facebook.com/profile.php?id=100000703736247 , Twitter Trainning Twitter http://twitter.com/trainning , Trainning WordPress http://trainningeducation.wordpress.com , Trainning Orkut http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=33527965 .

Brasil tem maior alta em ranking de TICs na AL

O Brasil teve a maior alta no ranking de uso de tecnologias da informação e comunicação (TICs) entre os países da América Latina no primeiro trimestre deste ano. Foi o nono trimestre consecutivo que o país avançou mais que os demais da região no Indicador da Sociedade da Informação (ISI), medição feita pela everis, consultoria de soluções de negócios e tecnologia da informação, em parceria com a IESE Business School da Espanha. No período, o Brasil atingiu 4,48 pontos no ISI, uma alta de 3,4% sobre igual trimestre de 2009.

O estudo aponta que o PIB per capita do país aumentou 5,3% em um ano e atingiu US$ 8.619. Pela primeira vez, o PIB per capita brasileiro obteve o segundo lugar no ranking, superando o México e abaixo apenas do Chile. “Junto com o Chile e o Peru, o Brasil constitui o grupo de países cujo índice progrediu mais do que a média latino-americana, registrando novos recordes. A alta de 3,4% do ISI do Brasil em relação ao mesmo período do ano passado representa a variação mais favorável em comparação com os demais países da América Latina”, destaca Teodoro López, presidente da everis Brasil.

Desde o início de 2001, por exemplo, cinco de cada nove novos computadores do parque instalado na região foram adquiridos no Brasil. O parque de servidores do país representa a maior expansão regional. Seu índice para mil habitantes atingiu 3,6 unidades, aumento de 9,2% em um ano. Além disso, a quantidade de computadores pessoais por mil habitantes subiu 13,7%. Ou seja, o Brasil tem hoje mais de 262 computadores por mil habitantes, mais do que cinco vezes a média de nove anos atrás, que era de 51 unidades.

Entre as variáveis analisadas, destaca-se a recuperação do índice de gasto total em TIC por pessoa, que superou os US$ 400 por ano, um aumento de 25,9% em relação ao mesmo período do ano passado. No que diz respeito ao Ambiente da Sociedade da Informação (ESI, em espanhol), o desempenho econômico da região foi positivo. Também foi relevante a queda da inflação, que caiu para 4,5%, em comparação aos 5,8% do ano anterior.

Conheça as formações em TIC da Trainning Education. www.trainning.com.br

As competências de TI mais desejadas pelos gestores

A seguir, seguem as competências essenciais para os CIOs, na visão de especialistas e de profissionais  que atuam no setor:

Conhecimento do negócio – Por mais interessantes que as tecnologias pareçam para a equipe de TI, os argumentos técnicos não podem ser utilizados para justificar um projeto para a diretoria e as demais áreas da organização. Assim, os CIOs devem conhecer a fundo o negócio da companhia para entender como as iniciativas da sua área estão alinhadas aos objetivos da organização e quais os resultados práticos esperados.

“Um projeto de TI é um investimento como qualquer outro da empresa e, em muitas ocasiões, pode inclusive concorrer com as demais áreas”, afirma o gerente de sistemas da Basf no Brasil, Ricardo Crepaldi. “Uma reestruturação de parque tecnológico, por exemplo, necessita estar alinhada à necessidade de crescimento da empresa. Não faz mais sentido trocar só por trocar.”, acrescenta o executivo.

Capacidade de comunicação – No dia-a-dia das organizações, boa parte das atividades de TI passa despercebida pelos funcionários da companhia. Na realidade, o CIO e a sua equipe só são lembrados em situações negativas, como quando o sistema cai ou o computador para de funcionar. Com isso, a imagem do trabalho da área de tecnologia da informação fica prejudicada dentro das organizações. E o pior, essa percepção chega até o board da companhia, o que reflete diretamente no humor de investimentos em novos projetos.

O CIO que pretende reverter essa situação precisa estar preparado a estruturar uma melhor comunicação de sua área com todos os stackeholders da organização. Para tanto, precisa investir em ferramentas que o ajudem a divulgar as iniciativas de TI a toda a companhia, bem como criar um canal para que os diversos usuários consigam expressar opiniões sobre produtos e serviços oferecidos pela equipe de tecnologia.

Gestão de pessoas – Os resultados da área de TI também estão diretamente relacionados à capacidade que o CIO tem para recrutar, reter e desenvolver seus colaboradores. Assim, a sócia da consultoria brasileira Career Center – especializada em gestão estratégica e recolocação profissional –, Karin Parodi, aconselha que esses profissionais estejam atentos à gestão de pessoas e não deleguem essa função apenas para a área de recursos humanos.

Essa capacidade de gestão e motivação das equipes é essencial a qualquer profissional em posição de liderança, mas tende a ser ainda mais crítica na TI, uma vez que trata-se de um setor no qual faltam pessoas capacitadas e, portanto, a retenção de talentos é essencial.

Perfil inovador – Quando buscam um profissional para ocupar a posição de CIO, as empresas buscam pessoas com postura voltada à inovação, de acordo com a diretora de TI e telecom da consultoria brasileira de recrutamento de executivos Fesa, Ana Luiza Loureiro Segall.

“Na prática, isso seria, por exemplo, representado por um CIO que, antenado aos lançamentos do mercado no qual atua, percebe uma nova maneira de se relacionar com os clientes e leva essa sugestão à área de marketing”, exemplifica Ana Luiza.

Conhecimento técnico – Um levantamento realizado pela consultoria norte-americana Diamond Management & Technology apontou que um dos pecados que o CIO comete é distanciar-se do conhecimento técnico. De acordo com o estudo, sem essa habilidade, o profissional não consegue saber como o departamento de TI pode contribuir com as demais áreas da organização e não consegue liderar sua própria equipe.

Na mesma linha, uma pesquisa realizada pelo diretor de tecnologia da informação da Halliburton no Brasil, Etienne Vreus, com 111 gestores de TI de empresas brasileiras, aponta que o conhecimento técnico é uma das sete competências essenciais ao CIO atualmente

Melhores Competências de TI

Melhores Competências de TI

Os 10 cargos de TI que em 2010 estarão em Alta

www.trainning.com.br

1 – Especialista em segurança/”hacker ético”

Fatos preocupantes aparecem quase todos dias em empresas que são vítimas de hackers, experimentos de segurança ou brecha de dados. Isso não vai mudar em 2010 e a área de TI vai se interessar em adquirir novas habilidades de segurança, aumentando as contratações de profissionais que tenham conhecimento necessário para desenvolver ambientes de trabalho mais seguros.

2 – Gerente de sistemas virtuais

Assim como os fabricantes, os departamentos de TI terão de incorporar conhecimento em sistemas virtuais e, para isso, há uma tendência da abertura de vagas específicas para esses profissionais nas empresas já a partir de 2010.

Entre as funções desses profissionais está o monitoramento das soluções em cloud computing (computação em nuvem), além de cuidarem de gerenciamento e de segurança desses ambientes.

A virtualização não apenas tem impacto nos atuais planos de data centers, mas também nos futuros esforços de computação em nuvem. E quanto mais as empresas adotarem essas tecnologias, mais elas vão esperar que seus funcionários saibam trabalhar com as novas ferramentas.

3 – Gerente de capacidade

As empresas que não se preparam adequadamente para a demanda de TI podem perder dinheiro. Por conta disso, analistas da consultoria Forrester apontam que o cargo de gerente de capacidade vai ser cada vez mais valorizado pelas organizações que pretendem otimizar recursos.

Quanto ao perfil desses profissionais, o Gartner avalia que as vagas devem ser preenchidas por pessoas que combinem a capacidade de planejar com gerenciamento financeiro, com o intuito de entender como os serviços e os recursos de TI são consumidos.

4- Engenheiro de rede

Os conhecimentos em rede voltarão à moda em 2010. De acordo com o Gartner, o interesse em infraestrutura e tecnologias de voz e dados aumentarão ao longo deste ano, o que exigirá profissionais qualificados. “O futuro do TI requer interações sociais e colaboração e é esse o motivo da importância das redes”, explica o vice-presidente de pesquisas da Gartner, Mark McDonald, acrescentando: “Mesmo quando a receita caiu em 2009, a demanda por volumes de transação e comunicação aumentou.”

5 – Especialista em código aberto

As empresas continuam a manter o orçamento de TI enxuto, mas esperam adicionar serviços para ajudar a retomar o crescimento. Isso estimulará um aumento dos projetos que envolvam softwares de código aberto. O que vai exigir profissionais habilitados a lidar com esse tema.

6 – Gerente de qualidade de serviços

Especialistas de TI com habilidades na identificação de problemas e melhora no desempenho dos ambientes – sistemas, armazenamento ou aplicativos – vão ser cobrados a ampliar seus conhecimentos, com o intuito de englobar todo o ciclo de vida dos serviços de TI.

A premissa de garantias de serviços de TI não é completamente nova. A diferença, no entanto, está no fato de que os próprios departamentos de tecnologia se incumbirão dessa tarefa e não a deixarão mais apenas nas mãos dos fornecedores.

7 – Gerente de sistemas de registros eletrônicos para saúde

Indústrias verticais específicas devem adicionar cargos de TI em 2010. O setor de saúde, por exemplo, deve aumentar sua equipe de TI significantemente, graças aos planos de estímulos econômicos do governo.

A companhia CompTIA prevê 70.000 novas posições de TI durante os próximos 12 meses na indústria de saúde. dos Estados Unidos.

8 – Especialista em sourcing

Software como serviço, computação em nuvem, serviços gerenciados, outsourcing e offshoring. Estas tendências exigirão que as empresas estejam mais preocupadas em escolher os fornecedores adequados, do que com a implementação e manutenção das soluções. Com isso, há uma tendência de que as áreas de TI tenham de reforçar conhecimentos em questões específicas, como gestão de licenças de software. Isso ajuda a decidir, por exemplo, quando vale à pena contratar o modelo de cloud computing.

9 – Gerente de catálogo de serviços

Os departamentos de TI são cada vez mais cobrados por atender às necessidades dos usuários. Por conta disso, há a expectativa de que o departamento incorpore a figura do gestão de catálogo de serviços.

“O gestor do catálogo de serviço é responsável por produzir e manter o leque de ofertas. Isso inclui responsabilidades em três categorias: planejamento e implementação de um catálogo de serviços, gestão dos aspectos financeiros dessa oferta e desenvolvimento e manutenção das soluções”, afirma um relatório da consultoria da Forrester Research.

10 – Engenheiro de processos de negócios

A demanda por tecnólogos para o setor de negócios decidirá as contratações em 2010, conforme as companhias procuram incorporar processos para reduzir os gastos e trabalhar operações mais racionalizadas. Segundo o Gartner, as companhias vão procurar engenheiros de processos de negócios para retrabalhar projetos de TI.